Qualidade de vida

Assuma sua culpa e seja mais feliz

Assuma a culpa e viva mais feliz

Esse é um assunto delicado e um tanto polêmico, mas vou tentar explicar. Antes de começar, gostaria de dizer que eu tenho consciência de que no mundo existem injustiças e que muitas coisas que acontecem são alheias à nossa vontade. Mas aqui abordarei os tipos de situação mais corriqueiros. 

Quantos de vocês já se sentiram injustiçados em algum momento da vida, ou tentaram achar um culpado para alguma coisa que não deu certo? 

IMG_7616-2

Eu aprendi depois de muitos anos, que assumir a culpa ao invés de ficar procurando alguém ou algum motivo para culpar, nos traz paz, liberdade e felicidade. 

Vou contar duas histórias que aconteceram comigo: uma vez no colégio, dois alunos me procuraram e pediram para que eu escrevesse a conclusão de um trabalho de história que precisavam entregar naquele mesmo dia. Para isso me ofereceram um pastel e uma coca, que na época  valia mais que um bitcoin. Fiquei sabendo que eles haviam pago para outro aluno para fazer aquele trabalho, mas que tinha ficado sem a conclusão. Eu topei, nem tanto pelo suborno gastronômico, mas por querer ajudar dois caras que eram muito populares na escola e assim me tornar mais amigo deles. Eu também fiz esse trabalho. Lembro que caprichei muito, foi um dos melhores trabalhos que  já fiz. 

Quando a professora entregou as notas, meus amigos tiraram 10 e eu tirei 8,5. Fui olhar meu trabalho, e na conclusão estava escrito em vermelho: “ Menos 1,5 pontos. Conclusão copiada”. Fiquei muito bravo, e mesmo depois de 20 anos do ocorrido, cada vez que me lembrava sentia raiva, frustração e um desejo enorme de um dia falar como a professora havia errado seu julgamento e tinha me prejudicado. 

Só que recentemente eu tive um insight e me dei conta que a culpa não foi da professora. Obviamente a culpa foi minha. Ao ter aceitado fazer a conclusão do trabalho dos dois amigos, quebrando assim uma regra, eu acabei errando feio. O fato da característica literária da minha conclusão ter ficado parecida com a do meu próprio trabalho (afinal, escrevi as duas), levou a professora a pensar que eu havia copiado deles. Ou seja, não foi culpa dela. Engraçado que na mesma hora que me dei conta disso, VINTE anos mais tarde, tirei aquele peso das minhas costas, aquele rancor que eu carregava, aquela sensação de injustiça. No fundo, assumir essa culpa me fez um bem enorme, e hoje eu acho que deveria ter tirado menos do que 8,5. 

A outra história que quero contar, é sobre meu divórcio. Quando me separei muita gente vinha até mim e perguntava quais tinham sido os motivos. Eu já tinha na ponta da língua uma lista com todos os problemas, defeitos, situações que eu não gostava em minha relação. De certa forma eu estava colocando a culpa em outra pessoa. Veja bem, esquivar-se da própria culpa, transferindo para outra pessoa, ou para o mundo, sistema, governo, ou qualquer coisa que queira citar, pode até trazer um conforto momentâneo, mas posso te afirmar que no longo prazo isso te destrói por dentro. Uns seis anos após minha separação eu consegui perceber e afirmar sem remorso, que a culpa da separação foi minha, pois eu sabia exatamente o que eu precisava fazer para evitar, mas não  o fiz.  Novamente, assumir essa culpa foi algo extremamente libertador. Não precisar inventar mil desculpas ou justificativas, não ter medo de assumir a responsabilidade pelo que aconteceu, tudo isso me trouxe paz. 

Você pode a partir de agora escolher, se quer assumir a culpa e tomar a responsabilidade para si das coisas que acontecem, ou se quer continuar apontando o dedo para o mundo e sentindo que a culpa não é sua. Não conseguiu o cargo que queria? Foi culpa do sistema que privilegiou outro que era amigo do chefe, ou foi culpa sua que não dedicou-se 100% e não tornou-se imprescindível para aquele cargo? Pense nisso.

O tenista Rafael Nadal uma vez ao perder uma partida, disse ao seu treinador que o problema era o calor que fazia naquele dia. Seu treinador então respondeu: que engraçado Rafa, só estava fazendo calor do seu lado da quadra?

Para finalizar, quero que você guarde essas duas frases e pense nelas cada vez que se sentir injustiçado, ou achar que a culpa é dos outros: 

“O mundo não lhe deve nada”. 

“Cada um corre a sua própria maratona”. 

Assuma suas culpas e responsabilidades, sacuda a poeira, aprenda com seus erros, e siga em frente. 

Viva! 

PS: Quer ver essa reflexão no youtube? Acesse Manual do Maikel no Youtube

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s